Livro: A auto-estrada

A auto-estrada é um livro escrito por Stephen King com o pseudônimo de Richard Backman

Bart Dawes é um homem marcado pelo triste fato da morte de seu filho por um tumor cerebral. Ele trabalha em uma lavanderia, vive com sua esposa e é surpreendido pela notícia de que uma extensão de estrada irá passar pelo local que viveu toda a sua vida, o forçando a desapropriar a casa e sair de seu emprego. Dawes não aceita a proposta de venda de sua casa apesar dos protestos de sua esposa. O tempo vai passando e todos os vizinhos já saíram do local e até sua esposa finalmente o abandona.

É difícil aceitar a demolição da casa e do seu local de trabalho principalmente por ser ali que viveu todas as lembranças que guarda com seu filho. Conforme os dias vão passando, Dawes vai tomando atitudes estranhas e algumas até extremistas, que deixam todos a sua volta confusos. Claramente abalado psicologicamente, ele tem constantes sonhos com o filho e conversas com seu alter ego, em alguns momentos perturbadoras.

Eu demorei praticamente o mês inteiro para terminar este livro, que é arrastado até não poder mais. Me cansei com os diálogos internos de Bart Dawes, sempre com a mesma relutância em deixar aquele local. O livro se arrasta entre os dias da vida de Dawes, sendo que nada muda, ele continua tão perturbado nas páginas finais quanto era no início, ou seja, é muita enrolação para pouca evolução do personagem.

Além disso, nenhum personagem me cativou. Dawes é um chato petulante, sua esposa é uma sem graça que não faz diferença e os amigos e colegas que os cercam também não representam nada de especial. Talvez a viajante maluca para quem ele dá carona e a leva para dormir em casa seja a responsável pelas páginas mais interessantes do livro.

Enfim, eu demorei para pegar um livro chato para o Desafio Literário do Tigre, mas tive minha estréia! Arrisquei um livro do pseudônimo de King e não deu muito certo, então continuarei me aventurando apenas em Stephen King legítimo.


Tema do mês de Junho: Autores favoritos

_____________________________________________________________________
Curta a fã Page do Penso. Me siga no Twitter.

4 comentários:

  1. Oi flor!!
    Quanto tempo!!!
    Estou atrasada em tudo, postagens, leituras..hehehe!
    Agora "acho" que consigo voltar ao normal...
    Adoro livros do Stephen King!!!
    Achei fofo vc querer mostrar para os gringos a comida da sua mãe...Acho que eu também gostaria de mostrar a comida da minha avózinha se ela ainda estivesse por aqui...
    No mais, não sei muito do que me orgulho nesse país...rsrs
    Bjos Day

    ResponderExcluir
  2. Meu deus como eu adoro ler resenhas honestas que quebram o pau quando o livro é uma porcaria! Mas se é tem que falar mesmo! xD
    Eu só li um livro do King, adoro o filho dele, Joe Hill, já leu? Mas nem sabia que ele tinha um pseudônimo.
    E pelo visto não vou deixar interferir na vida pq o negócio é ruim! XD
    Boa sorte com o projeto,

    Beijos!
    www.jadeamorim.com

    ResponderExcluir
  3. Acho que não é pra qualquer um mesmo esse livro. Esse gênero daí também não me chama a atenção. Tipo, seria interessante ler apenas para conhecer, mas certamente eu também acabaria não falando muito bem então. Claro, é a minha opinião de acordo com o que eu gosto e não gosto.

    Beijos,
    Cenas do meu livro de memórias | Fanpage do Blog

    ResponderExcluir
  4. Eu aaaaamo Stephen King, desapontei total com a sua resenha, viu?
    Acho que continuarei com os legítimos Stephens Kings também, hahaha =)

    Champagne Supernova

    ResponderExcluir

O que você achou deste Post?
Deixe sua opinião.
Obrigada pela sua visita!