Closing Cycles

Não sei exatamente definir o momento em que mais um ciclo se fechou na minha vida e um novo se abriu. Mas posso dizer com absoluta convicção que isso ocorreu no segundo semestre deste ano.

Eu li minhas agendas antigas e foi uma sensação estranha este encontro com a Dayane que fui aos 15. A felicidade por coisas pequenas, meu jeito desencanado de ser... Parece que eu era mais "racional" sobre a vida, nada de teenage drama, não era nem de longe a dramática teatral e reclamona que me tornei depois.

Se eu pudesse dizer algo para a Dayane aos 15, seria: Você vai conseguir cagar tudo.


As coisas que aconteceram depois dos meus 18 anos estragaram meus planos de vida. O trabalho surgiu, a faculdade, as decepções amorosas, as amizades superficiais, o cansaço, uma rotina que não me fazia feliz e eu não soube lidar com isso. Eu estive perdida todo este tempo.

Há menos de um ano atrás eu estive procurando motivos para reclamar, buscando inspiração na tristeza (sempre funcionou), mas em 2013, eu não encontrei mais nada. Eu aprendi um principio básico da vida, mas que nem todo mundo se dá conta: Você é o responsável por tudo o que acontece na sua vida, você é quem escolheu estar onde está neste momento. E você, apenas você pode mudar tudo a partir de agora. Foi um choque.

Eu posso mudar o rumo da minha vida quando não estiver mais satisfeita com ela. Eu comecei praticando a gratidão. Eu estou mudando coisas que não me fazem mais tão bem. Eu doei, fisicamente e espiritualmente. Eu passei a Rir do Mundo.

Muitas coisas que eu queria fazer mas na minha mente não passava de uma vontadezinha, se tornaram objetivos reais. Comecei a colocar a mão na massa, a sair do "vamos marcar" - "preciso assistir" - "amanhã faço", para a ação. Passei a aceitar convites, a acordar mais cedo e a vida, Deus, o universo ou seja lá qual nome vocês dão para isto, começou a me recompensar.

Agora fica aqui o registro dessa fase tão boa que estou vivendo e que espero que ela dure muito. Se este ciclo positivo se fechar, que seja para um melhor ainda se abrir!

Curta a fã page do Penso. Me siga no Twitter.

5 comentários:

  1. Oie Day...
    Acredito que encerrar ciclos e começar outros faz parte da vida...o bom é quando recomeçamos de uma maneira ainda melhor, como é o seu caso...
    Engraçado vc comentar que se fosse dar um conselho para a "dayane aos 15 anos" vc diria que ela iria conseguir cagar tudo. Eu outro dia também encontrei algumas velhas agendas, e para falar a verdade senti vergonha alheia de mim mesma (rsrs)....teenage drama 100%...e eu diria a "eu dos 15" que eu conseguiria melhorar toda a imbecilidade que minha adolescência me trouxe...mas enfim, como vc mesma disse, são ciclos, fases...coisas mudam, a vida melhora, a gente se aprimora....

    Essa premissa de que somos responsáveis por tudo que nos acontece na vida é tão verdadeira, tão simples de entender, e mesmo assim teimamos em culpar os outros...é difícil olhar no espelho e assumir nossas próprias culpas e responsabilidades...ainda bem que vc já se ligou disso, eu às vezes acabo me pondo na postura de vítima, e isso não faz bem....

    Ah, outra coisa, no seu comentário lá no blog vc usou uma expressão que achei ótima e que fez jus ao estado que me encontro agora, sobre se sentir presa no limbo..rs...é bem assim mesmo, estamos entre aquilo que sonhamos para o futuro e aquilo que já foi no passado, e parece que o presente nada mais é do que uma ponte para um futuro que será assim, assim, assado...

    Mas este pensamento não está certo, enquanto não aprendermos a aproveitar o presente, acredito que é possível que esse "limbo" se arraste tipo assim...forever....pois nunca estaremos satisfeitas...

    No seu caso, acho que da para vc prolongar bastante essa fase boa, vc está super positiva e otimista, bem diferente da Dayane pessimista que eu lia nesse blog antigamente...rsrs!
    continue assim!! e que venham ainda mais sucessos na sua vida!!
    bjinho

    ResponderExcluir
  2. Lendo seu post parei e pensei..
    Eu já passei dos 15 anos.. o que eu mudei? Não sei ti responder.
    Parece que continuo a mesma Nathalia de Sempre.
    Claro, sempre mudamos em alguma coisa. Acredito que mudei no quesito confiança, auto-estima essas coisas.

    Por mais que tudo estivesse uma bosta eu sabia que no meio dessa bosta poderia brotar uma flor. Esse meu otimismo nunca mudou. E sempre irritou muita gente kkk

    ResponderExcluir
  3. Tenho 15 anos... não sei como seria meu encontro com a Izabel de 11 ou 12 anos, seria diferente, minhas crenças, ideologias infantis e até meus ídolos - eu estava começando a descobrir o rock, imagina só....

    ResponderExcluir
  4. A gente parece sempre não estar satisfeita com a vida atual e se pudesse voltar no tempo faria de outra maneira muitas coisas.
    Eu também, andei olhando minhas agendas e vejo o quanto mudei, vá lá que não foi muito o esperado, mas tem que se andar mesmo pra frente e tentar fazer do que ainda vai ser, algo melhor. Eu gostaria de fazer, ser e ter coisas melhores, mas acho
    que não é tão fácil e vejo que isso traz mais decepção ainda, daí que deixa estar.
    Gratidão é algo que não abro mão. Gente superficial eu fujo e assim, vamos levando Boa sorte na sua nova fase, Dayane. Que quando o tempo psesar e você reveja seus posts, e ria deles.

    ResponderExcluir
  5. Correção: quando o tempo passar.

    ResponderExcluir

O que você achou deste Post?
Deixe sua opinião.
Obrigada pela sua visita!