Estatuto do Nascituro - É Perigoso Ser Mulher no Brasil

Ontem quando comecei a ler sobre a aprovação do Estatuto do Nascituro, precisei de uns 15 minutos para me recompor do meu estado de desespero. Sim, pois o referido Estatuto, tira os direitos de todas as mulheres sobre uma das decisões mais importantes de suas vidas: gerar ou não um filho... de seu estuprador!!

No Brasil, as únicas situações em que o aborto é permitido é em caso de estupro, de riscos de morte para a mãe ou no caso de feto anencéfalo. Se a mulher apenas não quiser ter um filho ela não pode abortar legalmente e pronto. Agora o Estatuto do Nascituro (ou seja, "ser humano concebido, mas ainda não nascido", nome horroroso mas que aqui continuaremos chamando de "embrião"), quer garantir direitos jurídicos para o embrião, passando por cima dos direitos da mulher. É isso mesmo, para o Estado, um embrião deve ter mais direitos do que uma mulher já nascida e formada.

Este Estatuto defende que o embrião fruto de um estupro, não poderá sofrer qualquer tipo de agressão, negligência ou descriminação, tendo com absoluta prioridade, o direito à vida. Para "consolar" a mulher que foi estuprada, o estuprador será obrigado a pagar a pensão até que o filho chegue à maioridade. Caso o estuprador não seja encontrado / identificado, o Estado se responsabilizará a pagar um salário mínimo para a mãe. Já existe quem chame isso de "bolsa estupro" e só falta mesmo é retroceder mais um pouco e obrigar a mulher à se casar com o estuprador, afinal, a defesa da honra é muito importante, certo?

Gente isto tudo é MUITO sério, porque ser estuprada é algo completamente possível! É uma realidade no Brasil, onde só de andar no metrô você é engolida por olhares masculinos de todos os lados, onde você sempre é "encochada", onde os homens, de todas as formas possíveis, oprimem a mulher até chegar ao ponto de acharem que tem o direito de pegar uma mulher à força. Agora imagina você voltando para a sua casa tarde da noite depois de um dia cansativo de trabalho, é abordada por um homem com o dobro de sua força - o que é biologicamente comum -, ser levada para um local isolado, ser espancada e estuprada e como se não bastasse, você engravida de um animal desses. Normalmente - em países onde quem está no poder são pessoas e não acéfalos religiosos - a mulher teria total apoio do estado para realizar o aborto. Mas no Brasil? É claro que não!

Não que um animal desses mereça ser espancado até a morte  a prisão perpétua, não... ele merece mesmo é pagar pensão! E a mulher tem de se conformar em gerar um filho indesejado de um animal, de uma violência que ela jamais irá esquecer. E manterá o vínculo com este animal que será "penalizado" com o pagamento de pensão, coitadinho! Pode acontecer comigo, pode acontecer com minha irmã, com minha mãe, com você ou qualquer mulher da sua família!

O Estatuto ainda prevê que, no caso da mulher não desejar ficar com o filho, ela poderá encaminhá-lo para adoção. Claro, é muito fácil mesmo carregar o fruto de um estupro por 9 meses na sua barriga, mudar todo o seu corpo e toda a sua vida, além do trauma do estupro, passar por um parto e depois disso, é só entregar o pacote para adoção. Que alívio saber que temos esta opção!!! SÓ QUE NÃO PORRA!!!

Os deputados que criaram o Estatuto do Nascituro imaginam que a mulher é um lixo, um nada sem valor algum, que seu corpo deve apenas servir as leis do Estado e da bíblia deles.

Para aquelas pessoas que são à favor do Estatuto do Nascituro e são contra a legalização do aborto por motivos religiosos, eu apenas peço que leia os seus livros de biologia (aqueles que você estudou na 5° série) para recordar que um embrião com até 3 meses de gestação não tem sistema nervoso formado, consciência de si e/ou sentimentos, portanto, não pode ser considerado ser humano passível de direitos como eu ou você. É válido citar ainda, que a discussão científica sobre o exato momento em que a vida começa nunca na história foi definido. Fica para os religiosos a crença de que a vida começa na concepção (com base em que? Na bíblia?), e fica para aqueles que não se baseiam em religião a  crença nos anos de pesquisas e estudos científicos, que é o meu caso.

No mais, empatia é um dos princípios básicos que diferenciam os seres racionais dos irracionais, então, coloque-se no lugar de uma mulher estuprada sendo obrigada a gerar um filho de um monstro, até porque se você é mulher no Brasil, eu tenho más notícias. Agora se você é homem, seria completamente injusto julgar os direitos de uma mulher visto que você JAMAIS passará por esta situação.

Então, assine a petição que pede a não aprovação deste Estatuto ridículo na Câmera, ainda dá tempo de impedir esta violação agressiva a nossa dignidade!
Já curtiu a fã page do Penso? Então clique aqui e dá uma curtida linda e cheia de amor, pois lá eu posto coisas diariamente! E também me siga no @PetitDay !

5 comentários:

  1. Ridículo e revoltante!!!
    Me faltam palavras para expressar o quão absurda é uma coisa dessas...Mas acho que isso não será aprovado não, iria causar muitaaa polêmica!
    Eu sou a favor do aborto de modo geral, eu particularmente jamais faria (a não ser em caso de estupro), mas se a mulher normal e consciente quisesse fazer, acho que deveria ter o direito de ir a uma clínica comum e realizar o procedimento, muito mais seguro para ela do que clínicas clandestinas, a questão da religiosidade seria entre ela e Deus, cada um cuida de si, ué...
    Mas voltando ao caso, eu acho uma bestialidade obrigar uma vítima de estupro a manter a gravidez, e pior, a quem sabe manter contato de seu filho com o criminoso-pai...Afff, é assim, realmente um absurdo! Não tenho palavras para tanta ignorância deste projeto de lei.
    REVOLTANTE!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Vivemos dias difíceis, tantas coisas são polêmicas e essa uma das mais. Eu não imagino o que pode se passar pela cabeça de uma mulher que nessas condições tem de dar à luz um filho. E agora nesse país tudo tem bolsa, acho que o dinheiro anda sobrando tanto que tome arrumar bolsa. Bolsa disso, bolsa daquilo...enfim, eu acho que deveria deixar a pessoa tomar a decisão de ter ou não.
    Sim, moro só, casa grande e às vezes dá na telha comprar coisas e mudar algumas,arrumo tudo, outras vezes deixo só por conta da faxina feita por uma pessoa.

    ResponderExcluir
  3. Isso é coisa Muito séria!

    Minha amiga para ir a faculdade sai de casa as 5:30 da madrugada ainda é escuro e pouquíssimo movimento na rua.
    Terça feira que passou, ao atravessar a esquina um sujeito estranho surgiu de uma rua e começou a segui-lá.
    Ela apressou os passos e ele foi atras. A pegou pelo braço e colocou a arma na sua cintura, ela ofereceu a bolsa e o celular ele recusou. Queria outra coisa. Eles foram andando e num momento de deslize dele, ela conseguiu correr. Pediu ajuda em uma igreja com vigilantes 24 hrs/ Fez o boletim de ocorrência. Não conseguiram capturar o animal!
    OBSERVAÇÃO: Tudo isso aconteceu a menos de 3 quadras de casa! Nós moramos na mesma rua.
    Essa minha amiga teve sorte, mas muitas coisas não!
    Se ele a estuprasse, e ela ficasse gravida. Deveria gerar aquela criança só porque o estado tem leis superficiais? Não, isso não é pra mim muito Obrigada!

    Nós mulheres podemos mudar isso tudo!
    Já assinei a petição!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu Deus, que coisa horrível! E quantas mulheres passam por isso sem conseguir se salvar... nem imagino isso acontecer comigo acho que prefiro levar um tiro...

      Excluir
  4. INACREDITÁVEL.
    Simples assim. Parece um roteiro de filme de terror. Bem mal escrito. Ainda que não fosse uma consequencia de estupro eu acho que a opção é da mulher. Se está certo ou não, ela que enfrente as consequencias (seja nessa vida ou em outro lugar). Agora ainda nessas condições é um ABSURDO.

    ResponderExcluir

O que você achou deste Post?
Deixe sua opinião.
Obrigada pela sua visita!