Série Spartacus - Vengeance e War of the damned

Mês passado eu postei a resenha da 1° e 2° temporada da minha séries favorita (é oficial: tenho a minha série favorita), Spartacus. Hoje retorno com a 3° e 4° temporada.

Vengeance
Como falei no outro post, depois da doença de Andy Whitfield após a finalização da 1° temporada da série, os produtores decidiram fazer um prequel para esperar a recuperação do ator. Mas infelizmente, Andy não se recuperou e faleceu em 2011 deixando o futuro da série incerto. Até que os produtores decidiram escolher outro ator para dar continuidade a saga do escravo trácio. O escolhido, Liam McIntyre começou devagar mas finalizou de forma épica.

Liam como Spartacus

Em Vegeance, começa a saga dos escravos fugitivos de Roma, em meio as constantes intrigas políticas da época, algumas fiéis a história, mas em maior parte, os roteiristas usaram e abusaram da liberdade artística para dar rumo à história. Com isso, cada episódio era de tirar o fôlego. Cada um deles foi finalizado com emoção, com alguma ponta solta que faziam os trending topics do twitter explodirem com a euforia dos fãs.

Agora, Batiatus já não existe, o que é uma pena pois sem dúvida foi o vilão mais carismático e de preferência unânime na série. Mas sua esposa, Lucrétia, sobreviveu e agora é uma coitada que depende da proteção de Roma.  Surge então o novo vilão, Gaius Claudius Glaber, que já aparece na série desde a 1° temporada, mas não era o vilão de destaque até então.

A eterna competição entre Spartacus e Crixus continua ficando evidente em diversos momentos, e aos poucos, a amizade entre os dois cresce até se tornarem blood brothers. Gannicus, que é o único Gladiador a ganhar a liberdade, também se uniu a revolta dos escravos, e sua busca eterna pelo perdão de seu amigo Oenamaus.


Essa temporada foi de tirar o fôlego, cada episódio, cada luta entre romanos e escravos, cada emboscada e tática de guerra.  Liam McIntyre começou devagar e foi difícil se acostumar com outro rosto no lugar do Andy, mas ao final da série, nossa mente já havia aceitado o novo Spartacus.

War of the Damned

I'm Spartacus!
Nesta última temporada, cada um de nós já se sente tão parte da história que o famoso grito I'm Spartacus de cada um dos escravos já é nosso também (olha que romântica). Esta temporada eu deixei pra assistir quando estava quase no final, pois me conheço e sei que não dormiria esperando cada episódio. Mas gente, foi lindo! Toda a união dos escravos e a forma como Spartacus se doa para seu povo, é incrível. O vilão da vez, Marco Licínio Crasso, político romano histórico e Julio César, além de uma participação de Pompeu. A liderança de Crasso foi a responsável por derrotar a revolta dos escravos em 71. a.C, o que já me deixou preparada - no caso dos produtores não fazerem merda na série - para um triste final.

Julio César e Crasso

A fuga dos escravos e as lutas travadas e as estratégias de guerra de Crasso e Spartacus, principamente de Spartacus que dividiu o exército e deu comando de 30mil homens para Crixus, e os ataques de Gladiadores com o bordão I'm Spartacus, que servia para confundir os romanos, tudo com muita emoção embaladas pela trilha sonora que dá o tom épico às cenas. Momentos difíceis acontecem nesta temporada, como a morte de personagens importantes, Crixus que morre em frente a sua amada Naevia, culminando no meu episódio favorito: o enterro de Crixus, onde foi feita uma homenagem a todos os mortos da série inteira, um episódio que considero especial e uma verdadeira homenagem a toda a série. O sofrimento de Agron, que também se tornou um personagem muito importante (e que compõe o segundo casal gay da série), e a reviravolta surpreendente.

O casal Agron e Nasir

A última batalha entre escravos e soldados é a mais interessante em termos de estratégias de toda a série. Mesmo assim, é previsível a derrota até mesmo pela diferença discrepante no número de soldados. Mas é bem triste ver a queda de personagens tão queridos. Os sobreviventes foram crucificados ao longo da Via Ápia, sendo fiel á história. Spartacus teve seu fim em meio aos amigos, depois de fazer tudo o que pode para mantê-los a salvo.

O fim da série foi muito acertado em fazer homenagens a todos os personagens que passaram pela série nos créditos finais, encerrando com o Andy Whitfield em sua cena na arena ao grito I'm Spartacus!!

Agron, Gannicus, Spartacus e Crixus

Espero que todas as pessoas que curtem séries e não conhecem Spartacus, deem uma oportunidade pois esta foi uma série que mexeu com nossos corações e que teve muito respeito pelos personagens que passaram e principalmente pelo Andy Whitfield. É uma pena que a série não tenha sido mais divulgada, sendo sufocada pela hype de Game Of Thrones e The Walking Dead. A impressão que dá é que a série não foi feita para vender, e sim para quem gosta da história, para seu pequeno porém fiel público.

PS: Gostaria de citar sobre o documentário Be Here Now, que conta a luta de Andy Whitfield contra o câncer e foi possível graças as doações dos fãs da série e a contribuição e divulgação do elenco da Série. Be Here Now é uma tatuagem que Andy tinha no antebraço.


“Eu faço essas coisas porque é justo. Sangue exige sangue. Estamos vivendo nos caprichos dos nossos mestres por muito tempo. Eu não pedi por isso.  Eu não veria a morte de um irmão com a finalidade de esporte. Eu não quero ver outro coração arrancado de um peito ou uma respiração se esgotar sem nenhum motivo. Eu sei que vocês não desejam isso, mas isso ainda é feito. Mas chega. A vida de vocês pertencem a vocês. Forje seu próprio caminho, ou se junte a nós, e juntos nós faremos Roma tremer!” - Spartacus
 Já curtiu a fã page do Penso? Então clique aqui e dá uma curtida linda e cheia de amor, pois lá eu posto coisas diariamente! E também me siga no @PetitDay !

10 comentários:

  1. Meu noivo ama essa série. Eu assisti alguns capítulos com ele, achei boa, mas tem muito sangue para meu gosto, prefiro mais romances...haha!!
    Mas é uma excelente série para o gênero a que se propõe!!

    ResponderExcluir
  2. Olha você não é a primeira pessoa que conheço que ama essa série. Tenho muitos amigos que são fãs, mas eu nunca parei para olhar. Sei lá, acho que no final das contas, só olho séries de horror: agora, por exemplo, ando assistindo Bates Motel - que fala sobre como o Norman Bates tornou-se um psicótico. Mas a dica é mais que válida, viu? Sobre o que você perguntou sobre escrever em inglês: ah vai, tenta. É legal e o único risco que você corre é de escrever algo errado - já aconteceu isso comigo várias vezes e ainda ocorre, rsrsrs. O único problema é os posts demoram mais. Beijos e baita semana pra ti, guria!!!!<3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, obrigada por responder minha pergunta. Demoro tanto para terminar cada post que para fazer na versão inglês iria demorar o dobro, então acho que vou tentar fazer isso só no ano que vem rs. Obrigada pela dica :)

      Excluir
  3. Assim que você falou sobre a série eu saí buscando e nas trocas de canais eu vi que passava, vi um pouco, mas não fui adiante, não é bom pegar uma série já andando, mas vale apena pegar as reprises, quem sabe eu não comece, porque gosto do gênero épico.

    ResponderExcluir
  4. Eu nunca nem tinha ouvido falar nessa série e confesso que não tenho paciência pra assistir sozinha. (mimimi) Mas parece ser bem boa.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Eu amava DEMAIS o casal Agron e Nasir ♥

    Sempre gostei desse tipo de enredo onde tem mitologia, lutas de gladiadores, muito sangue além claro da "potaria" que faz parte de tudo ali e deixa o clima da serie tão erótico.
    Atores tão belos e cada um com um personagem tão diferente do outro era demais.
    Spartacus um homem justo e completamente apaixonado pela esposa e Crixus um homem forte e orgulhoso, ambos com personalidades diferentes mas que de um certa forma se entendiam (depois de muita porrada kk).

    Eu assistia a serie porque eu gostava mas depois que começou a rolar um interesse do Agron com relação a Nasir eu passei a assistir com MAIS vontade só para ver o momento desses dois juntos.
    Um casal gay que tem um bom destaque (Agron era braço direito de Spartacus sendo ele um dos personagens principais) e não só algumas aparições foi muito legal pois sair da mesmice de casais Héteros deixa a serie bem mais interessante.
    Preciso nem dizer como eu amei a cena de sexo desses dois *-*

    ResponderExcluir
  7. amei mesmo essa série,,,,nunca me canso de assistir

    ResponderExcluir

O que você achou deste Post?
Deixe sua opinião.
Obrigada pela sua visita!