Série Spartacus - 1° temporada e Prequel

Eu sou realmente apaixonada pela série Spartacus - que teve a 1° temporada dirigida por Joshua Donen e Sam Raimi (diretor da trilogia O Homem Aranha, da série clássica do terror Evil Dead e do mais recente Oz- Mágico e Poderoso).

Blood and Sand
A 1° temporada - Spartacus - Blood and Sand conta o início da história de Spartacus, um escravo que se tornou Gladiador e comandou a maior rebelião já existente contra o império Romano. Conta-se que Spartacus libertou e liderou cerca de 100 mil escravos.

Spartacus

Sendo um soldado trácio, Spartacus é vendido como escravo por ter fugido de suas funções e voltado para a vila onde morava que estava sob ataque, atrás de salvar a vida de sua esposa. Lutou e matou alguns soldados romanos no processo. Como castigo, sua esposa foi vendida como escrava e ele colocado em uma arena para lutar com gladiadores e divertir a multidão. Como se sabe, um Gladiador vale por 10 soldados comuns, mas contrariando o óbvio, Spartacus venceu todos eles. Foi então comprado pelo lanista Quintus Batiatus para seu "Ludus", como eram chamados os lugares onde se treinavam Gladiadores para lutarem até a morte na arena, sendo que os vencedores traziam fama ao Ludus e grandes quantias de dinheiro ao seu Dominus.

Ao chegar na casa de Batiatus, Spartacus é sempre humilhado pelos veteranos, mas logo começa ganhar destaque por se mostrar um ótimo lutador, forte e persistente, mesmo apanhando e sofrendo todos os tipos de humilhações. O Doctore (treinador de Gladiadores) é Oenomaus, um homem justo e fiel ao seu Dominus. Crixus, o atual campeão da casa, se torna logo inimigo de Spartacus. Por outro lado, Varro se torna o melhor amigo. E atenção SPOILER (( Como eu amei a amizade deles dois! Não me esqueço nunca como chorei por 3 dias quando Varro morreu! ))

Spartacus e Varro
Esta 1° temporada trás muitas lutas na arena, cenas fortíssimas por sinal, castigos que os escravos são submetidos por seu Dominus, muitas cenas de sexo, as típicas festas romanas regadas a bebidas e orgias, o palavreado chulo típico também está lá. Os cenários e figurinos fazem jus á época, assim como a linguagem.

O ótimo Andy Whitfield foi perfeito como Spartacus, mas morreu em 2011 de um câncer, sendo substituído em seguida. Manu Bennett interpretou Crixus em todas as temporadas e Lucy Lawless (a Xena) interpretou a esposa de Batiatus, a maluca Lucrétia.

Gods of the Arena
Enquanto os produtores aguardavam o tratamento de Andy, foi produzido um prequel da série, intitulado Spartacus - Gods of the arena. Eu considerei como uma 2° temporada, mas é oficialmente um prequel, então vamos lá:

Gannicus, o campeão da casa Batiatus
Dirigida por Rick Jacobson, Gods of the Arena foi a decisão mais que acertadas dos produtores de segurarem o público até que a continuação da história fosse possível. Aqui, é mostrada a ascensão da casa Batiatus, repetindo a maior parte do elenco, como Crixus, Oenomaus, Lucretia e claro, o lanista Quintus Batiatus. Conhecemos então o antigo campeão da casa, Gannicus, que é então um grande amigo de Oenomaus - que nesta época ainda não é Doctore - e Crixus iniciante, ainda longe de ser o campeão da casa Batiatus.

Crixus
Grandes conflitos políticos são o foco desta temporada, assim como os conflitos internos do Ludus, que envolvem paixões proibidas e traições. Ashur, um dos personagens mais filhos da puta da série (daqueles personagens que o episódio de sua morte se torna um evento no twitter), começa trilhar seu caminho de falcatruas, além de Gannicus se apaixonando pela esposa de seu melhor amigo Oenamaus (este se tornará um dos melhores conflitos da série), e doses de sexo, sangue, sexo, lutas, sexo, festas e sexo.

Lucrétia
Enfim, uma verdadeira história de Roma! Além de todo o véu histórico, há também o drama essencial para manter qualquer série na ativa, o que segura cada final de episódio e te faz dormir ansioso pelo próximo. Esta é uma série que me fez roer as unhas, adrenalina ir a milhão!

Apesar de ser extremamente pesada e possuir algumas cenas que beiram o gore, Spartacus se trata de uma história de injustiças e justiça. E quando há injustiça de quaisquer tipo, cada ser humano normal, sente a necessidade de vingança. E é isso que encontramos em Spartacus - claro que alguns personagens bons que amamos eventualmente morrem (beijos Varro), mas quando a revanche vem, ela lava nossa alma!!

*Em breve falarei da continuação da série sem o Andy - Spartacus - Vengeance e Spartacus - War of the damned.

Valeu Andy!!

Fazia tempo que eu não falava de Séries por aqui. Já comecei a corrigir isto!
Já curtiu a fã page do Penso? Então clique aqui e dá uma curtida linda e cheia de amor, pois lá eu posto coisas diariamente! E também me siga no @PetitDay !

Um comentário:

O que você achou deste Post?
Deixe sua opinião.
Obrigada pela sua visita!