Dores de ouvido

Querida Lucia,

Se recorda das minhas constantes reclamações sobre dores de ouvido? Já tentei todos os remédios, de oral á tópico, mas a maldita dor sempre volta. Dr Marcos me disse para abrir mão dos fones de ouvido, mas eu prefiro sofrer a dor física, do que privar minha alma de uma boa música, entende?

Me lembrei da época da escola, e da criatividade dos jovens para curar as mais diversas enfermidades com seus meios alternativos. Certa vez estava eu para fora da sala, sentindo terríveis dores de cabeça, já havia tomado diversos remédios, mas a dor parecia aumentar. Um colega passou por mim e perguntou qual era o problema. Expliquei. Após ouvir meu relato das dores, e da ineficiência de quaisquer remédios que os adultos costumam receitar, ele me olhou com a cara mais sonsa do mundo e disse: "belisque a sua coxa". "Para quê?"- disse eu sem entender. "Pois se concentrando na dor da sua coxa, você se esquece da dor de cabeça".

Pois bem, hoje posso lhe dizer que minhas dores de ouvido já estão em segundo plano, são apenas um eco em minha mente, já nem me queixo mais. Lembrei do conselho juvenil e inocente e ando mais do que concentrada em uma dor que toma toda meu ser: Um coração partido.




Com amor,
Sua eterna amiga.

7 leram, refletiram e opinaram:

Nati disse...

Uma dor maior ameniza outra dor... Psicologia ou não, é verdade. Beijo

Srª หคтнყ disse...

Nati escreveu primeiro o que eu iria dizer.

Percebi que os fones tem incomodado meus ouvidos, mas são eles que amenizar a dor que vive dentro de mim.

Um Beijo

Clara disse...

Ai meu Deus, espero que isso seja apenas um texto muito bem escrito e que seu coraçãozinho não esteja partido. Aliás, já usei essa tática de beliscar (no caso o braço) para esquecer de alguma outra dor física. Mas para dor de coração partido não há lugar no corpo para beliscar que a faça sumir. beijos

Rebeca Postigo disse...

Triste é como conseguimos conviver com dores lancinantes e dores leves nos incomodam muito mais...

Bjs!!!

Ruby disse...

É a dor física X dor na alma. Às vezes curam.
Qual sua cor preferida, por favor?

Rafael Castellar das Neves disse...

Excelente!! Gostei da jogada...muito bem pensado e escrito!

[]s

Tiêgo R. Alencar disse...

Incrível como o ser humano busca válvulas de escape que muitas vezes parecem inviáveis, mas que por fim acabam dando certo. Como aconteceu no seu texto! Se bem que a dor de um coração partido é meio irreparável...

Beijos! :*