A gente que somos inutil.

Depois de trabalhar três anos e dois meses em uma mesma empresa, eu já não via a hora de me livrar e ficar em casa. A carta de alforria veio carregada de preocupação. No momento em que pedi as contas já me preocupei em arrumar algo o mais rápido possível, pois faço faculdade e não sou beneficiada por pró unis ou pró whatever.. Além disso tenho outras despesas de pessoas normais de 24 anos.
E o descanso merecido não tem sido tão aproveitado assim.. divido meu tempo entre procurar emprego na internet e me preocupar por não encontrar nada.. Quer dizer, eu encontrei um emprego, mas calhou de "congelarem" as vagas e fiquei de stand by. É estranho você ter algo mas ao mesmo tempo não ter. Queria curtir meu tempo em casa como deveria, sem preocupações, mas esta sendo impossível. Depender dos outros para pagar as minhas contas não é minha praia.
Isso me faz pensar como algumas pessoas conseguem.. isso de ficar em casa, com o marido trabalhando, ou o pai te bancando. Não que seja ruim você poder ficar em casa, mas é bom se sentir útil para a sociedade de certa forma, sair de casa, ter um emprego legal, comer na rua por causa da correria, encontrar os amigos depois do expediente... Uma rotina normal de ser humano independente. 
Vejo por minha irmã, que tem um filho e vive com o marido que tem não um, mas dois empregos (ele é dentista). Ela já esta louca para voltar a trabalhar, não pelo dinheiro, pois ele pode suprir tudo, mas sim pela sensação de ter um ofício. Não digo isso no sentido da grana somente, pois se você pode viver bem sustentada pelos pais ou marido, good for you, mas pela sensação do compromisso, ser útil de alguma forma.
Pode-se ser útil em casa, lavando, passando e cozinhando, e sei que existem pessoas que gostam disso. Mas eu não, e por isso ando ansiosa. E nem mesmo isso eu tenho para fazer na minha casa, então fico aqui, com insônia, louca para voltar a ser mais uma assalariada, que pega ônibus todo os dias, que se estressa no emprego, que corre para não perder o último trem, e que divide a conta do restaurante com o namorado.


PS: Não se esqueçam de visitar o Blog Gurias Arretadas, que estou mantendo em parceria com Ana Seerig, Erica Ferro, Allyne Araújo, Bárbara Farias e Rebeca Postigo. Lá falamos de filmes, música, literatura, comportamento, crônicas, pensamentos e textos alheios.

10 comentários:

  1. Calma... Tudo se encaixa com o tempo

    ResponderExcluir
  2. Faço facul e tenho que bancá-la...ja estou com outro emprego em vista e vou sair do meu essa semana.Mas se nao der certo sei que arrumo outro em um certo tempo, então tentarei curtir a casa.
    Nao sei como é com voce, mas aprecio ficar em casa, tenta ler e ver todos os filmes que ficou de ver!

    beijos e boa sorte!

    ResponderExcluir
  3. Fato: Nunca estamos satisfeitos com o presente. Se estamos trabalhando, ficamos loucas pra ficar à toa. Mas quando ficamos à toa, não aguentamos e nos desesperamos para trabalhar...

    Ashuahsuas
    É assim mesmo! =]

    ResponderExcluir
  4. Eu ti entendo Perfeitamente.
    É bom ser bancada pelo pai, mas por outro lado é complicado =S

    Haa.. respondendo sua pergunta: eu salvo os gifs normalmente (como se fosse imagens), e depois quando escrevo postagens, abro os gifs normalmente como se fosse imagens.

    Sites de comédia e tumblrs tem basante gifs legais.
    Qualquer dúvida por perguntar de novo ^^

    Beju :D

    ResponderExcluir
  5. Muito legal seu blog.
    Eu ja havia entrado aqui antes para ler, hoje entro para seguir. Segue meu blog tb por favor.
    Se quiser trocar banners, tem lá no meu blog, é só deixar um recado que eu coloco seu banner la no meu blog.
    parabens denovo...
    http://loucopolemico.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. HAHA Ai preocupações do dia-a-dia. Vejo poesia onde não tem.
    Adorei a forma solta com que disse as verdades.

    ResponderExcluir
  7. A gente não entende as pessoas né? Quem não precisa quer, quem precisa não acha. Tem dias que desejo de coração fazer outra coisa, mas quando penso na dificuldade que ta arrumar um trabalho, principlamente quem não tem ninguem pra dividir, ou seja, tem que se virar só (eu).
    Sorte, Dayane. tomara que ache logo algo. Seu layout ta perfeito, o tema que adoro.

    ResponderExcluir
  8. Vim do gurias arretadas, adorei o nome a mistura de dos estremos o sul e o nordeste, gostei também do blog!

    Entendo o que vc diz sobre trabalhar, trabalho desde os 17 e não sei viver sem ter o meu, depender de outra pessoa me parece sufocante, gosto de ter muita coisa a fazer, de me estressar com o excesso de trabalho... de ter muita coisa para ler... tudo isso me cança, mas me completa de uma forma muito especial!

    Prazer em te conhcer, cheros e espero que nos encontremos muito pelos corredores bloguisticos.

    ResponderExcluir
  9. Ah, curti o nome do blog... penso logo blogo!!! rsrs

    ResponderExcluir
  10. Dayane, nem preciso dizer que sou daquelas que curtem lavar, passar, cozinhar né...rs...mas entendo q para a maioria das pessoas hj em dia esse "ócio" dentro de casa acaba levando a loucura e por isso é importante ter sempre um trabalho pq assim vc nao fica doido dentro de casa sem se sentir util para a sociedade...minha mae sempre diz que tem medo de se aposentar e morrer de tédio, eu por outro lado gosto dessa calmaria que é o dia a dia de uma casa, mas sei que nos ultimos tempo as coisas se inverteram e pessoas como eu se tornaram exceções...anyway, espero q vc consiga trampar logo para se sentir melhor, mas enquanto isso tenta aproveitar para ver filmes, séries, livros sem preocupação! =]
    bjão

    ResponderExcluir

O que você achou deste Post?
Deixe sua opinião.
Obrigada pela sua visita!