Prazer, meu nome é Dayane, e eu te amo.

Eu realmente não entendo as pessoas, e na real, não faço esforço para entender. Vivem se matando, competindo, se destruindo, e acho que por isso elas esqueceram o que é amor. As pessoas banalizaram o amor de uma forma que vai além da simples palavra banalidade. 

Já fui dessas pessoas que se apegam fácil, que não sabem discernir o que é amor, o que é paixão, o que é carinho, etc. Nem me lembro quantas vezes já disse que amava uma pessoa sem ao menos conhecê-la bem. Quantas pessoas julguei amigas para sempre sem saber ao certo a definição de amizade.

Hoje sou uma pessoa diferente. Não mudei de um dia pro outro, mas foram as experiências que me moldaram e mudaram. Hoje sou muito mais madura e me machuco raramente. Sei me defender melhor, e em muitas vezes vejo a falsidade no olhar. 

Antes eu apenas gostava de somar números, ter muitas pessoas na agenda telefônica, ter pessoas para chamar de amigos- números. Com o tempo você percebe quem fica e quem vai, sua agenda telefônica vai diminuindo, os convites para o cinema ficam raros, e um dia você quer ter alguém para desabafar e percebe que não há. Me tornei mais seletiva.

Vejo pessoas ainda hoje, e vi isso a minha vida inteira, que confiam muito rapidamente nos outros. Mal se conhecem e já declamam seu amor aos ventos. Isso é irreal. As pessoas tem mesmo noção do que é o amor? O que é você precisar de alguém de verdade? O que é você ter alguém e saber que pode contar? Tipo.. sua familia? Sacou?

Existem amigos que eu amo de verdade, mas foi preciso uma longa caminhada de acontecimentos para que eu descobrisse que realmente eu amo. Foi demorado para eu saber que eram amigos mesmo, mais demorado ainda é saber que os amo. E essas pessoas não são pessoas que vejo todos os dias, que saio e que sabem de tudo da minha vida. Pois não é preciso estar ao lado todos os dias , como na época da escola, para sermos amigos.

Me sinto mal quando alguém que conheço há pouquíssimo tempo, diz que me ama- isso acontece- pois não vivemos coisas intensas, essa pessoa realmente não me ama. Dá vontade de dizer: "Não, querido, você não me ama, conviva com isso". E junto à isso aquele carinho excessivo, toques desnecessários, abraços.  Fico intimidada com a situação, mas não posso retribuir, não sou hipócrita. 


Portanto, já que o amor banalizou, tente ser mais sincero com as pessoas. Pense duas vezes antes de declarar seu amor incondicional, melhor que um dia encontrar alguém que fale na tua cara que você está errado. Não seja precipitado. Seja diferente. Seja sincero.

11 comentários:

  1. Nada será mais do que passado, pois somente o que se demora, se inicia (Rilke)

    :)

    ResponderExcluir
  2. Eu amei o seu texto! Super foda!
    E sim,eu vou me casar sim!!
    Obrigada!!! *-*
    beijos Dayane...

    ResponderExcluir
  3. Olá, passei gostei e estou a te seguir, se quiser fazer o mesmo com meu blog, não demore, arranje um tempo e pode vir. boa semana!

    ResponderExcluir
  4. Amizade são construidas por dias de felicidade, dias de tristeza e muita vontade de superar as situações.

    E não precisa agradeçer a dica do blog.

    Fique com Deus, menina Dayane Pereira.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Você tá certa. Mas seria muito bom se as pessoas da agenda não diminuíssem ou desaparecessem de nossas vidas, embora seja a uma seleção de quem realmente é amigo. As pessoas podem fazer o que quiserem, serem quem desejar, mas sem amor nada vale. Hoje, confiar é mais difícil, porque leva tempo pra se descobris quem realmente são as pessoas e nós vivemos tempos de falta de confiança.

    ResponderExcluir
  6. Oi Day, eu me identifiquei com seu texto. Eu também já fui assim: pensei que tinha vários amigos e muitos não passaram de colegas. Hoje, eu analiso as situações com mais calma e percebo em pequenas atitudes o que o posso esperar do outro.

    Sei texto define muito (quase)tudo que penso.

    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Sempre fui uma pessoa reservada. Até mesmo com familiares. Não sou de abraços e nem de afagos.

    Porém, acho que amizade é algo muito elevado e que só pode ser percebido por quem sente.

    Muitas vezes confundimos uma tremenda simpatia por alguém com amizade por este alguém. Da minha parte enxerguei amizade em pessoas que jamais pensaria que o fossem.

    Sou da opinião que as pessoas manifestem o que quiserem. Eu aceito o que quero.

    ResponderExcluir
  8. Não vou dizer que sempre saí ilesa dessas situações, mas já passei por poucas e boas sobre esse lance de "amor".
    A minha sorte é que sempre fui mais reservada com meus sentimentos... Não aprendi a domá-los, mas consegui segurar minha língua muito bem para não me dar mal.
    E em relação a amizades sempre fui seletiva, naquele famoso clichê: "prefiro ter poucos amigos a muitos colegas."
    Enfim, nesse ponto tenho sorte em ser tímida e a culpa pode ser jogada completamente nela.

    Beijos, Petit Day!(:

    ResponderExcluir
  9. Olá Dayane!
    Sambas, marchas, alegria. Carnaval. Tanto riso. Vestir uma camisa listrada e sair por aí. Com ou sem fantasia para abrir as alas de seus sonhos. Se preferir, muitas outras opções: um recanto sossegado, à beira de um riacho. Talvez um peixe bom no anzol. Ainda mais: praias, ondas, mar. Litoral, interior, restaurantes, cinemas. Mesmo na quietude da casa. Música clássica, livros. Tantas e tantas coisas agradáveis para uma curta temporada. Viva a vida plenamente, sonhe, deixe a fantasia florescer no jardim de sua existência.

    Bjos

    Edward de Souza

    ResponderExcluir
  10. Oh, yeah! You got that right, sweetie. Nice to read it.

    ResponderExcluir
  11. Puutz... disse tudo.

    Eu também não entendo como as pessoas podem "amar" os outros tão rápido!
    Eu demoro anos até realmente gostar de alguém de verdade e mesmo assim me decepciono... será que as pessoas não percebem que rápido desse jeito, a decepção é ainda mais provável!? O que vem rápido vai rápido, minha gente!

    ResponderExcluir

O que você achou deste Post?
Deixe sua opinião.
Obrigada pela sua visita!