Indiferença


... Impossível ordenar o mundo dos valores, ninguém arruma a casa do capeta; Me recuso pois a pensar naquilo em que não mais acredito, seja o amor, a amizade, a família, a igreja, a humanidade;

Me lixo com tudo isso!

Me apavora ainda a existência, mas não tenho medo de ficar sozinho, foi concientemente que escolhi o exílio, me bastando hoje o cinismo dos grandes indiferentes...


- Um copo de cólera, 1978.



Por Dayane Pereira.
Foto:
Olhares

14 leram, refletiram e opinaram:

Juliane disse...

Muito inteligente essas palavras, a foto completa o post e ah esse site "olhares" é muito bom, ja encontrei fotos ótimas também.

Erica Ferro disse...

Adorei tomar esse copo de cólera. ;)

Beijo.

/carla disse...

adorei ;)

Mikaele Tavares disse...

bom texto!

Janinha disse...

Oi...
Vlw pela visitinha...Q bom q curtiu minha postagem... Eu assisti akele poema no Youtube copiei, guardei e resolvi posta... A imagem foi pela frase msm...
vim retribuir... :)
Adorei o poste poucas palavras mas, verdadeiras... Sua imagem é o q mais esse Brasil sente msm, mas ñ só de alimento de um todo...

Dedikei alguns selinhos pra vc qro vim comentar eles aki tbm... :p
Bju

Príscila Gama "Tuka" disse...

altamente colérico!

Dany Loureiro disse...

Oi Dayane, obrigada por visitar meu blog, volte sempre!!!

Adorei aqui!

Beijão.

Dany - www.estouroempalavras.com

Maldito disse...

rsrs,..muito excelente

Juliana Dias disse...

Estou seguindo seu blog. Com prazer!

Metal Mind disse...

Ótimas festas!
Nada de novo no ano que vem, a não ser que façamos acontecer.Coragem para quebrar as regras, paciência para curar as feridas.

Rodrigo disse...

Meu seu blog é espetacular show, not°10 desejo muito sucesso em sua caminahda e objetivo no seu Hiper blog e um feliz natal e ano novo com muita saúde, paz, alegria amor e que DEUS ilumine os seus caminhos e da sua familia
UM grande abraço e tudo de bom
http://maximumforma.blogspot.com/

Fred Matos disse...

Day,
Não obstante a minha implicância com o uso comercial do "espírito natalino", não tenho como escapar da influência que a data exerce sobre o meu emocional que ainda teima em crer que a humanidade não é caso perdido e que podemos construir um mundo mais justo, sem violências e sem preconceitos. Em suma: sou um ingênuo assumido.
Sendo assim, é inevitável que venha para deixar os meus votos sinceros de que você tenha um feliz natal e que o ano novo não seja apenas uma nova página no calendário, mais um marco de mudança que inaugure uma nova era de paz e felicidades para todos e que possamos realizar todos os nossos melhores sonhos e projetos.
Felicidades.
Beijos

Leonardo disse...

Que texto bacana! Falou tudo subjetivamente e ao mesmo tempoo, explicitamente.

Maicon disse...

Muito legal o texto